Quinta-feira, 3 de Julho de 2008

Casa da Música

 

Aniki-Bóbó segue o seu caminho
 
Domingo, 6 de Julho
Aniki-Bóbó segue o seu caminho
Ernst Reijseger direcção musical
António Tavares
movimento
Tiago Pereira vídeo
21h00 | Sala Suggia | €5
 
 
Anikibébé
Anikibóbó
Passarinho
Totó
Berimbau
Cavaquinho
Salomão
Sacristão
Tu és polícia
Tu és ladrão!
 
 
Passados 66 anos sobre a estreia de Aniki-Bóbó, a lengalenga de quem é quem no jogo dos polícias e ladrões volta a ouvir-se na presença de Manoel de Oliveira, Teresinha e Carlitos.
 
O realizador e os protagonistas de Aniki-Bóbó assistem ao concerto de encerramento de um projecto comunitário que incorpora música, vídeo, dança e teatro e conta com a participação de 150 pessoas.
 
Integrado no plano de compromisso da Casa da Música com as diferentes comunidades, tendo em vista a sua integração social e uma participação activa na vida cultural, este projecto traz um novo olhar sobre a primeira longa-metragem de Manoel de Oliveira. Aniki-Bóbó segue o seu caminho procurou desenvolver um trabalho contínuo num tecido urbano tradicionalmente associado a situações de exclusão.
 
Sob a coordenação do violoncelista Ernst Reijseger, integram a concepção desta obra alunos de várias escolas vocacionais, músicos profissionais e outros artistas, como actores e bailarinos bem como elementos sem qualquer formação especializada, gente nascida nas zonas ribeirinhas. Nos 100 anos de Manoel de Oliveira, esta será, certamente, uma das maiores homenagens que pode fazer-se ao realizador e à sua obra: levar para o primeiro plano protagonistas da vida real.
 
Aniki-Bóbó segue o seu caminhoconta com as participações do coreógrafo, bailarino e percussionista António Tavares e do videasta Tiago Pereira, que estabelece os paralelismos, através do registo de imagem, entre o filme de 1942 e a peça de 2008.
 
Rodado em 1942, decorria a II Guerra Mundial, Aniki-Bóbó é mais do que uma singela história interpretada por crianças. Através de Carlitos, Teresinha e seus companheiros de brincadeira, o espectador é confrontado com dilemas que acompanham o ser humano. Baseado no conto “Meninos Milionários”, de Rodrigues de Freitas, Aniki-Bóbó aborda de forma a escolha entre o Bem e o Mal, ao mor e o ódio, a amizade e a ingratidão.
Assuntos:
publicado por lamire às 15:03
link do artigo | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 24 de Junho de 2008

Novo Director Artístico da Casa da Música

António Jorge Pacheco
 
novo Director Artístico da Casa da Música
  
 
A convite do Conselho de Administração da Fundação Casa da Música, António Jorge Pacheco será o novo Director Artístico e de Educação, com efeitos a partir de Janeiro do próximo ano.
 
António Jorge Pacheco, que desempenha actualmente as funções de Coordenador de Programação da Casa da Música, em acumulação com a gestão artística do Remix Ensemble e da Orquestra Barroca Casa da Música, está ligado à instituição desde a génese do projecto. Entre 1999 e 2001, integrou o Grupo de Trabalho da Casa da Música, por nomeação do ministro da Cultura. Durante o mesmo período, desempenhou o cargo de Coordenador da Programação Musical da Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura. Foi Director Artístico interino da Casa da Música, entre Novembro de 2005 e Março de 2006.
 
Consultor Artístico da Fundação Luso-Internacional e da Casa da Artes de Vila Nova de Famalicão, Coordenador das Actividades Culturais do Europarque e crítico de ópera foram outras funções anteriormente desempenhadas por António Jorge Pacheco.
 
É membro do Réseau Varèse (Associação dos Promotores de Música Contemporânea), com sede em Paris, para cuja direcção foi eleito em 2004 e reeleito em 2008, integrando também, desde 2006, a Comissão Instaladora do European Ensembles Network, sedeado em Oslo. Em 2007, foi membro do Júri do Festival de Música da Bienal de Veneza e, desde 2002, tem participado regularmente nas conferências internacionais da ISPA (International Society of Performing Arts) e da IAMA (International Arts Management Association).
 
Para além da música, também a área literária tem marcado o percurso de António Jorge Pacheco: traduziu do italiano obras, textos e libretos, colaborou com revistas literárias e com a imprensa e publicou as obras “O Guardador de Sonhos” e “Passeava-se a Donzela”.
 
Com o convite a António Jorge Pacheco, o Conselho de Administração assegura a continuidade da estratégia artística e educativa até agora seguida pela Fundação e abre novas perspectivas de afirmação à Casa da Música.
 
O percurso de António Jorge Pacheco e, em particular, o seu entusiasmo, profissionalismo e dedicação dão todas as garantias de que a sua escolha é a escolha certa para consolidar a Casa da Música enquanto instituição cultural de referência em Portugal e no Mundo.
Assuntos:
publicado por lamire às 00:23
link do artigo | comentar | favorito
|

Músicas dos quatro cantos do mundo

Quatro noites de Festival Mestiço
na Casa da Música
 
 
 
 

Artistas de vários pontos do globo, que cruzam a música tradicional dos seus países com as actuais tendências do rock e da electrónica, são convidados da Casa da Música para a terceira edição do Festival Mestiço, que decorre de 26 a 29 de Junho.

Do reggae ao hip-hop, passando pela música africana, cigana, latina, pop-rock, ska, rocksteady, a soul, o samba e as inovadoras mestiçagens, o Festival Mestiço traça um itinerário que percorre, ao longo de quatro dias, a América de Norte a Sul, África, a Europa Central e os Balcãs, ao longo de mais de dez concertos.
 
Quinta-feira, 26 de Junho
Señor Coconut and His Orchestra
Boban Markovic
Kumpania Algazarra
22h00 | Sala 2 | €10
A necessidade de se desconectar de todas as influências musicais que o circundavam levaram Uwe Schmidt a despedir-se da Alemanha e a mudar-se, de malas e bagagens, para o Chile. Uma década volvida, Senõr Coconut, também conhecido como o único músico electrolatino do mundo, apresenta-se no Festival Mestiço para dar a conhecer o seu mais recente álbum, Around The World. Acompanhado em palco por nove músicos, Señor Coconut promete integrar no alinhamento versões de clássicos bem conhecidos como Sweet Dreams are Made of This, dos Eurythmics.
 
Considerada por muitos a melhor banda de metais dos Balcãs, Boban Markovic Orkestar apresenta o seu mais recente trabalho, Go Marko Go!. Dirigida pelo conceituado trompetista sérvio Boban Markovic, esta orquestra deu-se a conhecer ao Ocidente com a participação no filme Underground, de Emir Kusturica. Famosa pela capacidade de arrebatar uma audiência, ao vivo, e conseguir produzir o mesmo efeito em estúdio, a Boban Markovic Orkestar é presença notada nos maiores festivais de todo o mundo, tendo realizado, nos últimos sete anos, mais de 600 concertos.
 
Com influências de várias culturas, os Kumpania Algazarra contagiam tudo e todos com boa disposição, ritmos acelerados e melodias vibrantes.
 
Sexta, 27 de Junho
Marcelo D2
MC K
Manif3stos + Dany Silva
Azagaia
22h00 | Praça | €10
Três anos depois de Meu Samba é Assim, que gravou na Casa da Música para a MTV, Marcelo D2 está de regresso para mostrar o seu sambop e já fez saber que traz um espectáculo diferente. Para além de alguns dos temas que farão parte do sucessor de Meu Samba é Assim, ainda em gravação, o rapper traz banda nova e diz que muita coisa mudou. Samba, reggae, hip-hop ou rock, D2 é o mestre-de-cerimónias.
 
Começou com demonstrações para pequenos grupos alternativos, mas rapidamente foi descoberto pela imprensa internacional. Ao segundo álbum de originais, MC K, um dos mais talentosos músicos africanos, aceitou o desafio de trazer a sua mensagem ao Porto. Politicamente crítico, o rapper angolano pretende ajudar a construir um país onde a liberdade de expressão seja uma realidade ao alcance de todos.
 
Os Manif3stos começaram por procurar o equilíbrio entre o hip-hop e o reggae, mas deixaram-se seduzir pelo drum’n’bass, o soul e a electrónica. Perspectivas sobre guerra e solidão, amor e amizade são alguns dos temas que podem ouvir-se neste concerto, ao qual se junta o músico e compositor cabo-verdiano, Dany Silva. O jovem universitário Azagaia fecha o segundo dia de festival com a apresentação do álbum, Babalaze.
 
Sábado, 28 de Junho
Toots & The Maytals
The Dynamics
Freddy Locks
22h00 | Praça | €10
Detentores de uma sonoridade única, que resulta da combinação entre gospel, ska, reggae e rock, The Maytals começaram por ser figuras de proa da cena reggae jamaicana na década de 60’. Liderados por Frederick Toots Hibbert, os The Maytals influenciaram gerações e nomes como os Clash ou os Specials. Entre os mais bem sucedidos temas do extenso repertório da formação jamaicana está Pressure Drop, uma das dez melhores de todos os tempos, segundo a Vanity Fair.
 
De nacionalidades diferentes e com raízes distintas, cinco amigos juntaram-se em França para perpetuar o espírito do reggae. Profundo e dinâmico, é ao vivo que o som dos The Dynamics se revela, graças à presença imponente dos seus elementos. Madonna, Rolling Stones e Bob Dylan são alguns dos artistas e grupos revisitados, mas o colectivo promete surpreender o público do Mestiço com músicas originais.
 
Com cada vez mais adeptos em Portugal, a cultura rastafari tem motivado o surgimento de vários projectos reggae. A prová-lo está Freddy Locks que se estreou discograficamente a solo, no ano passado, com Bring Up The Feeling. Ao roots, rock, reggae de Bob Marley, Fred acrescentou a positividade, liberdade e amor como que em reacção às injustiças e tristezas deste mundo.
 
Domingo, 29 de Junho
Amadou & Mariam
Timbila Muzimba
Extra Golden
22h00 | Praça | €10
Oriundos do Mali, Mariam Doumbia e Amadou Bagayoko conheceram-se num instituto de jovens cegos e, desde então, tornaram-se inseparáveis na vida e na música. Músicos há mais de uma década, foi Manu Chao que os trouxe para a linha da frente ao produzir Dimanche à Bamako, em 2004. O soul e o funk de mão dada com o blues fazem desta a dupla mais explosiva da música africana do momento.
 
Do bairro Unidade 7, nos arredores de Maputo, chega um grupo de jovens que formou uma orquestra de xilofones dos VaChopi, povo que habita a província de Inhambane. Ao som da orquestra de timbila, os bailarinos fazem mover freneticamente o muzimba (corpo). Na bagagem, os Timbila Muzimba trazem o álbum Por Conta Própria.
 
Composto por dois músicos norte-americanos e dois quenianos, os Extra Golden nasceram de uma jam session registada em computador num restaurante de Nairobi. Apesar das fronteiras físicas e das contingências políticas, os Extra Golden conseguiram impor-se. Graças à ajuda do actual candidato à presidência norte-americana, Barack Obama, na altura senador, o quarteto obteve os vistos de entrada nos EUA para, aí, gravar Hear Ma Nono, que agora apresentam, pela primeira vez, em Portugal.
Assuntos:
publicado por lamire às 00:21
link do artigo | comentar | favorito
|

.Informa grátis concertos:

.pesquisar

.Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.artigos recentes

. Casa da Música

. Novo Director Artístico d...

. Músicas dos quatro cantos...

. Homenagem a Guilhermina S...

. Casa da Música

. Casa da Música - Menino-p...

. Nella Maissa na Casa da M...

. Casa da Música

. Casa da Música - Sequeira...

. Casa da Música

. Casa da Música

. Casa da Música - Dia da c...

. Casa da Música

. Casa da Música

. Casa da Música - Porto

. Casa da Música

. Casa da Música - 6 de Abr...

. Casa da Música - 5 abril

. Casa da Música - 4 Abril

. Casa da Música - programa...

. Concerto de Páscoa

.arquivos

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.Assuntos

. todas as tags

.Temporada Música FCG 08-09

Temporada de Música 2008/2009

.Descobrir a Música 07-08

Descobrir a Música 2007/2008

.links

.participar

. participe neste blog

.subscrever feeds