Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

LA MI RÉ

No silêncio do som... as notas que ficam...

No silêncio do som... as notas que ficam...

LA MI RÉ

28
Abr08

Temporada Gulbenkian de Música

lamire

Grande Auditório

 

 

Quinta, 1 de Maio, 21.00

Sexta, 2 de Maio, 19.00

 

 

Orquestra Gulbenkian

Fabio Luisi Maestro

Arabella Steinbacher Violino

 

 

Max Bruch

Concerto para Violino Nº 1, em Sol menor, op.26

Robert Schumann

Sinfonia Nº 3, em Mi bemol maior, op.97, Renana

 

 

 

Fabio Luigi dirigiu há duas semanas, num concerto memorável no Coliseu dos Recreios, a Stastkapelle de Dresdner, da qual é Director Artístico. Quem o ouviu, certamente ficou curioso de verificar se a sua direcção produziria a mesma magia relativamente à Orquestra Gulbenkian, agrupamento com que se irá apresentar de novo ao público português, mas desta feita no Grande Auditório.

Nascido em 1959, em Génova, Fabio Luisi, depois de um primeiro percurso como pianista (teve, entre outros professores, Aldo Ciccolini), interessou-se decisivamente pela direcção de orquestra, domínio no qual se iniciou com Milan Horvath, no Conservatório de Graz. Foi na ópera desta cidade austríaca que deu os primeiros passos como acompanhador e maestro de ópera. Na segunda metade dos Anos 90 do século passado, a sua carreira ganhou relevo, possibilitando-lhe regulares aparições em Viena e em Leipzig. Em 1997, tornou-se o maestro titular da Orquestra da Suíça Francesa, cargo que manteve até 2002. Em Janeiro de 2004, conheceu iguais funções na Staatskapelle de Dresden, as quais desempenha no presente.

Como não podia deixar de se pensar tendo em conta o seu percurso, Fabio Luisi é um apaixonado pela ópera. Dirigiu já em alguns dos principais teatros do mundo, desde a Staatsoper de Viena, ao Met de Nova-Iorque. Neste último, estreou-se em 2005 com o Don Carlo de Verdi. Este compositor é, aliás, um dos seus predilectos. No campo discográfico, esta sua particular simpatia pela obra do autor da Aïda é notória, tendo sido elogiadíssima a série de gravações que efectuou de óperas menos divulgadas, como são o caso das de Aroldo, Jerusalém ou Alzira.

No Grande Auditório, Luisi dirige Schumann e Max Reger. Deste último será interpretado o Concerto para Violino Nº 1, em Sol menor, op.26, em que será solista Arabella Steinbacher. Esta intérprete alemã estudou com Ana Chumachenko, Ivry Gitlis, e, presentemente, é uma das intérpretes preferidas de Anne-Sophie Mutter. A carreira de Arabella Steinbacher ganhou importância internacional depois de ter substituído em Março de 2004, à última hora, um outro solista como intérprete do Concerto para Violino de Beethoven, com a Orquestra Filarmónica da Radio-France sob a direcção de Neville Marriner. Passou a partir daí a apresentar-se em todos os grandes auditórios do mundo, tanto em concerto como em recital, efectuando uma série de premiadas gravações que incluem obras de Khatchaturian, Milhaud, Shostakovich e outros.

 

 

 

José Luís Figueira

Publicidade e Promoção

Serviço de Música

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Os meus links

ANÚNCIOS MUSICAIS

ARTESÃOS

ARTISTAS

Bilhetes espectáculos

COROS

Cultura

Festivais de Música

Grupos de Câmara

Maestros

Música

Outros

ORQUESTRAS

TUNAS

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2006
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D