Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LA MI RÉ

No silêncio do som... as notas que ficam...

No silêncio do som... as notas que ficam...

LA MI RÉ

15
Mar08

Concerto da Páscoa na Casa da Música

lamire
Obras célebres Ao Meio Dia 
 
Paulo Silva
em recital de órgão
CONCERTO DE PÁSCOA l AO MEIO DIA
Domingo, 16 de Março
Paulo Silva órgão
12h00 | Sala Suggia | Entrada livre
Programa
Pedro de Araújo Batalha do 6º Tom 
J. S. Bach Toccata, Adagio e Fuga em Dó M  
J. S. Bach VI Sonata em Trio (Sol M), BWV 530
L. Boellmann  Suite Gótica, op. 25 
J. Langlais Trumpet Tune 
Paulo Silva é o organista convidado pela Casa da Música para actuar no ciclo de recitais de órgão, no âmbito do Concerto de Páscoa. O organista traz à Sala Suggia um programa apelativo, que percorre quase quatro séculos de música e oferece uma vista panorâmica de algumas das mais importantes escolas de órgão europeias.
 
A Escola Ibérica surge representada na figura de Pedro de Araújo. Apesar de pouco se saber da sua vida, é seguro afirmar que tocava regularmente no órgão da Sé Catedral de Braga. A sua Batalha do 6º Tom traz à memória o som das trompetas, célebre dos tubos horizontais dos órgãos barrocos. Estas batalhas, que procuram reproduzir os sons característicos de um combate, simbolizavam, na música sacra maneirista, o duelo celeste entre o bem e o mal.
 
A Escola Alemã integra este programa através do seu mais ilustre compositor, Johann Sebastian Bach, Figura presente em todos os recitais de órgão na Casa da Música, Bach destaca-se pelas formas improvisadas e pela grande variedade de ornamentação que utiliza, realidade evidente na Toccata, Adagio e Fuga em Dó maior. Na segunda obra de Bach, VI Sonata em Trio em Sol Maior, sobressai o início de Vivace pelo seu estilo italiano de Vivaldi.
 
A Escola Francesa encerra este recital de entrada livre, com duas obras célebres:a Suite Gótica, de Léon Boëllmann, organista da Igreja de St. Vincent de Paul, em Paris, e Trumpet Tune, de Jean Langlais, inspirada no órgão da maior catedral gótica do mundo, St. John the Divine, em Nova Iorque.
 
Paulo Silva nasceu em 1976, no Porto, e licenciou-se em Música Sacra pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, onde estudou Órgão e Improvisação, Direcção de Coros e Direcção de Orquestra. Da sua actividade como concertista a solo, destacam-se diversos recitais e concertos de órgão e piano, em Portugal e em Espanha. Paulo Silva estreou o órgão histórico da Igreja de S. Francisco, em 2002, após o seu restauro, bem como o órgão da Igreja de Esposende, em 2004. Depois de, entre 1996 e 2007, ter desempenhado o cargo de organista na Igreja da Lapa e na Sé do Porto, Paulo Silva também lecciona Órgão e Formação Musical, no Conservatório de Música da Madeira.
 
 
 
 
Assessoria de Comunicação
932687433
220120215
14
Mar08

Notícias várias

lamire

A Câmara Municipal de Cascais, em reunião ordinária de 10 de Março ...
Desporto na Linha - Cascais,Lisboa,Portugal Ao longo do ano, a OCCO realiza 12 concertos e 18 recitais em vários espaços do concelho, com assinalável êxito junto do público. ...

http://www.desportonalinha.com/?action=article&id_article=3747

Óbidos celebra Semana Santa com Bach e Mozart Agência Ecclesia
 - Lisboa,Lisboa,Portugal "Requiem" de Mozart, "Stabat Mater" ou "Requiem" de Fauré são outros dos concertos que o programa inclui, segundo programa divulgado pela autarquia local. ...

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticia_all.asp?noticiaid=57528&seccaoid=3&tipoid=127

South by Southwest: Músicos portugueses a caminho do TexasJornalismo
PortoNet - Porto,Portugal Realizado este ano de sete a 16 de Março, os concertos estão agendados para os últimos quatro dias do certame. O festival americano comemora a 22ª edição e ...

http://jpn.icicom.up.pt/2008/03/12/south_by_southwest_musicos_portugueses_a_caminho_do_texas_.html

Coimbra em Blues
As Beiras Online - Coimbra,Coimbra,Portugal O preçário é o seguinte: normal - 12 euros; estudante e sénior - 10 euros; geral normal (concertos e sessão de cinema) - 30 euros; geral estudante e sénior ...

http://www.asbeiras.pt/index.php?area=cultura&numero=56833&ed=13032008

Terceira representada no IV Centenário do Padre António Vieira
AzoresDigital - Terceira,Açores,Portugal ... do Padre António Vieira incluirão um grande Congresso Internacional e múltiplas Conferências, Simpósios, Seminários, Exposições, Concertos e Concursos. ...

http://www.azoresdigital.com/ler.php?id=9568

Banda da Covilhã com muitas actividades em carteira
Diário XXI - Beira Interior,Portugal Sob o lema "Banda da Covilhã - Um Projecto Cultural Em Construção", foram definidos eixos de trabalho que passam pela formação, divulgação e concertos, ...

 

http://www.diarioxxi.com/?lop=artigo&op=6364d3f0f495b6ab9dcf8d3b5c6e0b01&id=0c031fe92fdc7596e4f20c56c661319d
Ministro Manuel Pinho na apresentação do Allgarve 2008 sexta-feira ...
Barlavento Online - Portimão,Algarve,Portugal ... de 2008 do programa <<Allgarve>>. A vencedora de dois Grammies sobe ao palco da Marina de Albufeira a 29 de Julho, integrando uma série de concertos ...

 

http://www.barlavento.online.pt/index.php/noticia?id=22590
Associação reclama seis anos de apoios da autarquia, após decisão ...
 Sol - Lisboa,Portugal

O protocolo atribuía 2.250 euros por mês à ACBI para concertos e para o programa de ensino <<Música nas Escolas>>. Foi dado como suspenso por alegadas ...

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=84507
14
Mar08

Ciclo de Canto

lamire
Terça 25 de Março, 19.00
Grande Auditório-FCGulbenkian
 
 
Angelika Kirchschlager Meio-Soprano
Malcolm Martineau Piano
 
 
Johannes Brahms
He, Zigeuner, greife in die Saiten ein, op.103 nº 1
Hochgetürmte Rimaflut, op.103 nº 2
Wißt ihr, wann mein Kindchen am allerschönsten ist?, op.103 nº 3
Lieber Gott, du weißt, wie oft bereut ich hab, op.103 nº 4
Brauner Bursche führt zum Tanze, op.103 nº 5
Röslein dreie in der Reihe blüh'n so rot, op.103 nº 6
Kommt dir manchmal in den Sinn, op.103 nº 7
Rote Abendwolken zieh'n am Firmament, op.103 nº 11
 
Felix Mendelssohn-Bartholdy
Es weiß und rät es doch keiner, op.99 nº 6
Das Waldschloss
Pagenlied (Wenn die Sonne lieblich schiene)
Nachtlied, op.71 nº 6
Wanderlied, op.57 nº 6
 
Franz Liszt
Im Rhein, im schönen Strome, S.272
Es rauschen die Winde, S.294
Es war ein König in Thule, S.278
Ein Fichtenbaum steht einsam, S.309
Die stille Wasserrose, S.321
O lieb, so lang du lieben kannst, S.298
 
Antonín Dvorák
Liebeslieder, op.83
Lasst mich allein, op.82 nº 1
 
“Parece-se com Nikole Kidman, move-se como Sarah Vaughan e canta com amor e prazer” – palavras que o Independent consagrava a Angelika Kirschklager em 2003 e que se mantêm actuais, dadas as continuadas e cada vez mais aplaudidas actuações deste meio-soprano nos mais prestigiados palcos do mundo. Actuações em que surge invariavelmente ladeada por alguns dos maiores intérpretes musicais do nosso tempo.
Angelika Kirchschlager, que iniciou a sua carreira há apenas pouco mais de dez anos, divide, como é natural numa grande cantora, a sua actividade pelos domínios do recital, do concerto e da ópera. Neste último terreno tem-se consagrado, em teatros como o Scala de Milão, a Staatsoper de Viena ou o Met de Nova-Iorque, como uma mozarteana por excelência - ela nasceu em Salzburgo, a cidade do compositor! -, em papeis como Cherubino, Dorabella, Zerlina  ou Idamante. Por outro lado, também se tem apresentado triunfalmente nos papeis de Mélisande, Oktavian, Sesto (o handeliano), Orlovski da opereta O Morcego ou ainda em Sophie, papel titular feminino da nova ópera Sophies Choice. Nos domínios do recital e do concerto o repertório de Kirchschlager alarga-se substancialmente, incluindo obras de Bach, Berlioz, Brahms, Debussy, Dvorak, Korngold, Mahler, Mendelssohn, Ravel, Schubert, Schumann, Weill,e Wolff. Alguns destes compositores serão agora ouvidos no recital que vai apresentar no Grande Auditório Gulbenkian, acompanhada pelo  pianista Malcolm Martineau. Os recitais são sempre óptimas amostras da arte de uma cantora. Só neste clima íntimo sabemos, de facto, a que ponto uma voz pode e sabe transfigurar-se e fazer-nos mergulhar, com o poder evocativo do timbre, de uma acentuação, da maneira de construir uma linha, em universos díspares, por vezes radicalmente diferentes de canção para canção, de um compasso para o seguinte. Um grande recital de lied é, assim, uma experiência sempre exaltante, complexa, apaixonante.
Naturalmente, a discografia de Angelika Kirchschlager tem vindo a aumentar desde que em 1997 lançou o seu primeiro álbum com canções de Alma Mahler, Gustav Mahler e Korngold, álbum que foi de imediato premiado. Lançou posteriormente o aclamadíssimo When Night Falls, preenchido com canções de embalar e dedicado ao seu filho. De referir ainda um trabalho preenchido com árias de Bach e um CD que gravou em conjunto com Barbara Bonney – First Encounter – com obras de Fanny Mendelssohn Hensel, Felix Mendelssohn, Robert Schumann, Robert Brahms e Antonin Dvorak.
 
 
José Luís Figueira
Publicidade e Promoção
Serviço de Música
12
Mar08

Reviver Led Zepplin na Sala Roxa

lamire

 

Vitalic no Clubbing
Clubbing
Sexta, 14 de Março
Twisted Charm
Thinkfreak
Vitalic
23h30 | Sala 2 | €15*
Nightmoves DJ set
Bitchee Bitchee Ya Ya Ya DJ set
Nuno Reis
23h00 |Bar
David Maranha
Margarida Garcia + Manuel Mota + Pedro Gomes
01h00 | Cybermusica
Palco Chiado Records
Murdering Tripping Blues
You Should Go Ahead
01h00 | Foyer Nascente
Álvaro Costaapresenta: Led Zeppelin Re.Max
23h00 | Sala Roxa
Pfadfinderei VJ / video
23h00 l Bares e Foyers
 
Sala 2 |15€
(com direito a uma bebida e a circular em todos os espaços);
Restantes espaços | 5€
(com direito a uma bebida; não dá acesso à Sala 2)
 
 
Apesar do Clubbing de Março ser maioritariamente composto por artistas nacionais, o cabeça de cartaz desta edição vem de França e é conhecido no mundo da música por Vitalic. Depois de lançar o seu EP de estreia, Poney Ep, em 2001, e de ter percorrido as pistas de dança de todo o mundo, Vitalic chega ao Clubbing para apresentar o seu ultimo álbum, V-Live, e os temas futuristas que fizeram dele um dos artistas mais requisitados da actualidade. Antes da actuação de Vitalic, é a vez dos britânicos Twisted Charm subirem ao palco. Oriunda de Northampton, esta banda deixa de lado as guitarras e agarra o saxofone para acompanhar os comentários irreverentes sobre os cânones da vida moderna, recheados de humor negro, que compõem as suas músicas. Na edição de Março do Clubbing, a Sala 2 também abre as suas portas à produção nacional: Thinkfread faz parte da nova geração de produtores portugueses que agora começa a ganhar notoriedade. Com uma produção assente essencialmente numa sonoridade techno e oscilando entre ritmos fortes e influências minimalistas, Thinkfread têm conquistado cada vez mais visibilidade. O recente convite para integrar a compilação Circuit - Contemporary Portuguese Electronic deve ser encarado como um reconhecimento pelo excelente trabalho desempenhado.
 
Nos Bares, a animação fica a cargo dos Nightmoves, duo britânico composto por Matt Waites e Pete Cage. Desde que, em 2006, “deitaram as mãos” ao tema Gravity’s Rainbow, dos Klaxons, e o remisturaram, os Nightmoves tornaram-se um dos duos mais requisitados das redondezas. Prova disso são as suas actuações no mítico Liars Club de Nottingham. Depois do duo britânico, é a vez de entrar em cena outro duo, agora anglo-francês: Bitchee Bitchee Ya Ya Ya. Com um estilo que navega entre o lo-fi e o pós-punk, os Bitchee Bitchee Ya Ya Ya têm reunido o apoio dos grandes DJ’s da actualidade. O maior êxito - Fuck Friend - já foi alvo dos remixes de CSS, Brodinski, Marc Blum, entre outros. Neste espaço, também se poderão sentir as vibrações nacionais, quando entrar em cena Nuno Reis, DJ da Antena 3.
 
No espaço Cybermusica, David Maranha faz a estreia da apresentação da versão em banda completa do registo Marches of the New World. Maranha percorre os trilhos da música hipnótica e aposta num estilo assente na repetição e no transe. Ao Cybermusica  chegam ainda três músicos ligados às novas linguagens improvisadas contemporâneas: Margarida Garcia, Manuel Mota e Pedro Gomes. Este trio lisboeta, que tem em comum a busca incessante de formas idiossincráticas de expressão musical, apresenta-se no Clubbing como um excelente exemplo do novo e globalizador vocabulário que se começa claramente a afirmar como um marco da pesquisa musical de vanguarda desta década.
 
O palco do Foyer Nascente acolhe a Chiado Records, uma agência de booking que aposta na descoberta, produção e lançamento de novos projectos musicais que incidam num estilo maistream. O próprio catálogo da Chiado Records, em notável crescendo desde Setembro de 2004, reflecte o espírito desta editora: por lá já passaram nomes como Balla e Bangguru, mas também artistas ligados ao fado, jazz e música clássica. Murdering Tripping Blues é a designação de outra das bandas que sobe ao palco do Foyer Nascente. Ao longo de um ano, os Murdering Tripping Blues, recorrendo ao impulsoe às emoções fortes, têm espalhado o seu rock contagiante pelo país. O trabalho desenvolvido pela banda também já lhes valeu uma primeira edição discográfica. Depois da passagem por grandes palcos como o Lisboa Soudz 2006, o South by Southwest 2007 no Texas e Creamfields 2007, e em vésperas de lançamento do seu segundo álbum, chegou o momento dos You Should Go Ahead pisaremo palco do Clubbing. Esta banda lisboeta, que também já conta no seu palmarés com o título de finalista do concurso TMN Garage Sessions, tem alcançado o sucesso junto do público e da imprensa.
 
Na Sala Roxa, Álvaro Costa presta homenagem a uma das bandas de rock mais influentes de sempre: Led Zepplin. Socorrendo-se da sua vasta experiência adquirida enquanto repórter, Álvaro Costa concebe um imaginário programa de televisão através do qual dá a conhecer alguns dos episódios mais marcantes desta lendária banda. O peso histórico da sua música, os sons e imagens da banda de Jimmy Page e os ocasionais regressos dos Led Zepplin são alguns dos temas abordados neste programa. São motivos mais que suficientes para não perder este imaginário programa de televisão construído para ser “visto” na Casa da Música.
 
Instalação Clubbing - Como já tem acontecido em edições anteriores, a cenografia, iluminação e a sinalética do Clubbing ficam a cargo do colectivo de designers Pfadfinderei. A excelência que acompanha o trabalho desenvolvido pelos designers e VJ’s que integram os Pfadfinderei, como se pode constatar no papel activo que assumem na reinterpretação visual dos objectos sonoros,tem-lhes proporcionado a integração em projectos com entidades como a MTV, em festivais como o Mayday e o Sónar by Night, nos quais são responsáveis visuais.
 
 
 
Assessoria de Comunicação
932687433
220120200 
12
Mar08

Notícias várias

lamire

Música: Rita Redshoes estreia-se a solo em "Golden Era", a editar ...

RTP - Lisboa,Portugal

Rita Redshoes tem formação clássica e em piano e as primeiras experiências na música remontam à adolescência, quando começou a tocar na bateria do irmão, ...

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=332313&visual=26


Música: The Gift actua com Orquestra Metropolitana de Lisboa em ...

RTP - Lisboa,Portugal

Lisboa, 10 Mar (Lusa) - Os portugueses The Gift actuam em Abril com a Orquestra Metropolitana de Lisboa para três concertos que simbolizam o final de um ...

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=332092&visual=26

The Gift dão três concertos inéditos com OML em Abril Diário Digital - Lisboa,Portugal ... de três concertos inéditos, no âmbito do Projecto Orquestras, do qual também fazem parte a Orquestra do Algarve, Orquestra do Norte e Orquestra Clássica ...

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=4&id_news=322585


Série traz o repertório ouvido pela corte portuguesa no Brasil veja Rio (Assinatura) - Rio de Janeiro,RJ,Brazil Organizada pelo maestro Wendell Kettle, a série de música de câmara pretende cobrir, num total de seis concertos mensais, um repertório que inclui ...

http://vejabrasil.abril.com.br/rio-de-janeiro/roteiro/759/concertos/


Passaporte dá descontos para o festival "Jazz'n'Gaia" 2008 Gaia Global - Vila Nova de Gaia,Porto,Portugal O programa decorre entre 27 e 29 de Março, no Teatro d'Avenida (a tenda gigante frente ao El Corte Inglês) e os bilhetes estão já à venda, beneficiando com ...

http://www.gaiaglobal.pt/gaia/linkto?contentid=F08F808480CO

12
Mar08

Solistas da Orquestra Gulbenkian

lamire

Solistas da Orquestra Gulbenkian
 
Segunda, 17 de Março, 19.00
Auditório Dois
 
Istvan BalazsViolino
Clélia Vital Violoncelo
Nicholas McNair Piano
 
 
Joseph Haydn
Divertimento em Lá maior, Hob.XV.35
Divertimento em Fá maior, Hob.XV.37
Trio em Sol maior, All’Ongarese
Ignaz Pleyel
Trio em Sol maior, Scottish Airs, B.450
Wolfgang Amadeus Mozart
Trio em Sol maior, K.564
 
 
O trio com piano nasceu em meados do século XVIII, a partir da progressiva autonomização que conhece da forma que o origina, a sonata barroca, tanto na sua versão para duo e trio instrumental, como na destinada apenas a um instrumento de tecla. É neste domínio que se situa a proposta que apresentam o violinista Istvan Balazs e a violoncelista Clélia Vital, ambos instrumentistas da Orquestra Gulbenkian, juntamente com o pianista Nicholas McNair. Interpretarão cinco obras pertencentes ao género, através das quais será possível perceber o seu processo de adaptação às convenções do estilo clássico, nomeadamente no que diz respeito à compensação do protagonismo do piano mediante uma maior ênfase e independência outorgada às partes dos outros dois instrumentos.
Do programa constam obras de Haydn, de Pleyel e de Mozart, escritas entre 1765 e 1795. Estando ainda longe do completo abandono do modelo da sonata acompanhada patente nos célebres trios com piano de Beethoven e de Schubert, são obras que fazem reviver a frescura cultivada nos salões setecentistas. O Trio de Mozart, sexto e último dos que escreveu, data de 1788 e, quando comparado com os dois Divertimenti de Haydn, revela o novo protagonismo conferido aos instrumentos de arco.
Serão ainda escutados mais dois Trios, da autoria de Haydn e de Pleyel, escritos na década de 90, ambos mostrando o gosto pelos temas “populares” que se generalizou então entre os amadores habitantes dos grandes centros urbanos. Haydn inspirou-se na Hungria, enquanto Pleyel evocou as brumosas terras da Escócia.
 
 
José Luís Figueira
Publicidade e Promoção
Serviço de Música
12
Mar08

Concerto de Páscoa

lamire

 

Coral de Letras e ONP
no Concerto de Páscoa
--
 Direcção musical de Joana Carneiro

CONCERTO DE PÁSCOA l ONP À SEXTA
Sexta-Feira, 14 de Março
Orquestra Nacional do Porto
Coral de Letras da Universidade do Porto
Joana Carneirodirecção musical
21:00 | Sala Suggia | €15

--

Programa
l
Johann Sebastian Bach Cantata n.º 4, Christ lag in Todes Banden
ll
Gustav Mahler Sinfonia n.º 1 em Ré maior, Titã
 
 
A Orquestra Nacional do Porto e o Coral de Letras da Universidade do Porto e sobem ao palco da Sala Suggia para, em conjunto, apresentarem o Concerto de Páscoa. Este ano, o programa conta com a interpretação da Cantata n.º 4, Christ lag in Todes Banden, de Johann Bach e da Sinfonia n.º 1 em Ré maior, Titã, de Gustav Mahler.
 
A maior parte das cantatas de Bach tem subjacente uma função específica, geralmente associada a celebrações religiosas. Centrada na escuridão espiritual, na (falta de) esperança, no terror e na morte, a Cantata n.º 4, Christ lag in Todes Banden, foi composta por Bach para assinalar a Paixão de Cristo. Nesta obra também prevalece a crença na salvação e a ideia de sofrimento para o triunfo da fé e da esperança, simbolizadas na morte e na ressurreição de Jesus Cristo. Na Sinfonia n.º 1 de Gustav Mahler, Titã, reaparece o tema da morte. Na génese desta sinfonia está a alusão a sons de pássaros e a canções infantis. O terceiro andamento, baseado numa versão do popular Frère Jacques em ambiência de marcha fúnebre, é responsável por grande parte da polémica em torno desta obra.
 
Depois de ter marcado presença na semana inaugural da Casa da Música e de manter, desde então, uma colaboração regular com a instituição, o Coral de Letras da Universidade do Porto regressa a um palco que já lhe é familiar. Fundado em 1966 e dirigido desde essa data por José Luís Borges Coelho, o Coral de Letras da Universidade do Porto alimenta-se, naturalmente, do repertório ‘a cappella’, mas é a música portuguesa que ocupa o lugar de relevo nos seus programas. A versatilidade do Coral de Letras manifesta-se não só no número de orquestras com as quais já actuou, mas também na disponibilidade com que responde aos vários convites que recebe. A provar a excelência deste grupo está a Medalha de Mérito Cultural do Ministério da Cultura com a qual foi agraciado. 
 
Na direcção artística deste concerto está Joana Carneiro, um dos mais ilustres jovens maestros em actividade. Actualmente a exercer a função de Maestrina Assistente na Filarmónica de Los Angeles, Joana Carneiro é detentora de um estilo peculiar, enérgico e fisicamente muito exigente. Natural de Lisboa, Joana Carneiro iniciou os seus estudos musicais como violetista e recentemente concluiu o doutoramento na Universidade de Michigan. Apesar de ainda muito jovem, a maestrina já goza de enorme reputação na Europa e nos EUA: pelas suas mãos já passaram, entre outras, a Orquestra Filarmónica de Londres e a Orquestra de Câmara de Los Angeles. De entre os muitos prémios com que foi distinguida, conta-se a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique, condecoração que recebeu, em 2004, do então Presidente da República, Jorge Sampaio.
 
Este concerto apresenta-se como um momento oportuno para assistir ao vivo à actuação conjunta de duas das mais carismáticas formações musicais da cidade do Porto e para, simultaneamente, dar as boas-vindas a um época em que se comemora a Paixão de Cristo.
 
 
Assessoria de Comunicação
932687433
220120215

 

 

12
Mar08

V CURSO INTERNACIONAL de MÚSICA ANTIGA na ESMAE

lamire
16  a  19 de Março de 2008
Dia 16 de Março – Domingo/Sunday
11.30h –  Concerto no Coliseu do Porto –  Handel / Messias
                 Orquestra de Música Antiga da ESMAE
              dir Benjamin Chenier
15h –  Esmae : Recepção aos alunos do Curso 
16h/19h – Masterclasses
19.15h – palestra José Luis Borges Coelho*
 --
Dia 17 de Março – 2ª Feira /Monday
10h /13h -  Masterclasses
15h/18h –  Música de Câmara/Chamber Music
18.30h/19h – Mini Concerto/Small Concert
19.15h – Palestra Miguel Jaloto*
21h/23h -   Ensaio público do concerto de Bach para 4 cravos
           Public rehearsal of Bach's Concerto for 4 harpsichords
-- 
Dia 18 de Março – 3ª Feira /Tuesday
10h /13h -   Masterclasses
15h/18h –    Música de Câmara/Chamber Music
18.30h/20.30h – Danças Antigas / Barroc Dances
               com/with Catarina Costa e Silva
21.30h – palestra Cristiano Holz*
--
Dia 19 de Março – 4ª Feira /Wednesday
10h /13h - Masterclasses
15h/18h – Música de Câmara/Chamber Music
19h - Concerto Final / Final Concert
 *actividade organizada pelo NVCLEVS
– núcleo de alunos do curso de música antiga da esmae

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Os meus links

ANÚNCIOS MUSICAIS

ARTESÃOS

ARTISTAS

Bilhetes espectáculos

COROS

Cultura

Festivais de Música

Grupos de Câmara

Maestros

Música

Outros

ORQUESTRAS

TUNAS

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2006
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D