Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LA MI RÉ

No silêncio do som... as notas que ficam...

No silêncio do som... as notas que ficam...

LA MI RÉ

29
Fev08

BRAGAJAZZ 2008

lamire

ORQUESTRA de JAZZ de MATOSINHOS

e

CHRIS CHEEK

abrem

“BRAGAJAZZ 2008”

Reconhecida como uma das formações mais dinâmicas do “jazz” português, é à Orquestra de Jazz de Matosinhos, ao lado de Chris Cheek, um dos mais talentosos saxofonistas norte-americanos, que é atribuída, a 6 de Março (22h00), a missão de abrir as portas do BragaJazz 2008.

Com uma trajectória musical ascendente iniciada em 1999, que se distingue pelas colaborações com músicos de renome internacional, a Orquestra Jazz de Matosinhos conquistou em 2007 o privilégio de ser a primeira formação nacional a actuar no célebre “Carnegie Hall”, em Nova Iorque, com Lee Konitz.

Da colaboração com o saxofonista, que assume o lugar de solista no concerto de abertura da nona edição do “BragaJazz 2008”, resultou já a edição do primeiro trabalho discográfico do colectivo, intitulado “OJM Invites Chris Cheek”.

Composto por temas inéditos de Carlos Azevedo e Pedro Guedes, directores da “big band” nortenha, o álbum de estreia reflecte os princípios basilares da formação que sempre apostou na construção de um reportório próprio e no desenvolvimento de projectos com artistas de renome como Carla Bley, Dieter Glawwischnig, Ingrid Jensen, Steve Swallow, Mark Turner ou John Hollenbeck.

«Toda a música escrita para “Invites Chris Cheek” apresenta uma elevada consistência interna, soando cada um dos arranjos como uma entidade orgânica, com vida própria, que o solista convidado tratou de nutrir da melhor forma», salienta o crítico Paulo Barbosa.

Natural de St. Louis, Chris Cheek, reputado saxofonista do contexto “jazz” nova-iorquino, distingue-se pelas inúmeras colaborações desenvolvidas ao longo de uma carreira que dedica igualmente a projectos como Paul Motians “Electric Be Bop Band”, “The Bloomdaddies” ou ainda à própria banda com que interpreta composições originais.

A par das digressões pelos Estados Unidos e Europa que realizou com estas e outras formações, Chris Cheek dedicou-se ainda ao trabalho em estúdio do qual resultaram os álbuns “I Wish I Knew”, “A Girl Named Joe” e “Vine”, com as participações de Kurt Rosenwinkel e Brad Mehldau.

Constituída por alguns dos músicos de “jazz” de maior destaque da região norte, a Orquestra Jazz de Matosinhos, que se destacou em eventos como o concerto de encerramento de “Porto 2001” ou o Festival Obra Aberta, da Casa da Música, tem vindo a adquirir uma cada vez mais sólida expressão internacional com concertos em Espanha, Itália e com uma notável participação no JVC Jazz Festival, no Carnegie Hall que teve por objectivo a comemoração do octogésimo aniversário de Lee Konitz, a que se seguiu ainda uma performance no clube JazzGallery, também em Nova Iorque.

A edição de 2008 do Festival de Jazz de Braga prossegue a 7 de Março (22h00) com a presença no palco da Sala Principal do trio “DrumBassBone”, projecto do conceituado trombonista Ray Anderson que se caracteriza pela invulgar mistura de composição e improviso.

---------------------------

Os ingressos para este concerto, a 10 euros, estão disponíveis nas bilheteiras do Theatro Circo. A aquisição de ingressos para os cinco concertos usufrui de um desconto de 20 por cento.

 

Mais informação:

www.ojm.pt,

reservas@theatrocirco.com

e no “call center” 253 203 800. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Os meus links

ANÚNCIOS MUSICAIS

ARTESÃOS

ARTISTAS

Bilhetes espectáculos

COROS

Cultura

Festivais de Música

Grupos de Câmara

Maestros

Música

Outros

ORQUESTRAS

TUNAS

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2006
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D